Segundo estudo da Comissão de Regulamentação de Comunicações – CRC, estima-se que em 2025 haverá mais de 1.3 bilhões de conexões 5G em nível mundial. Em 2025, haverá até cem bilhões de dispositivos conectados à IoT, o que causará um impacto de US$ 11.000.000.000.000, de acordo com o último estudo da Internet Society.

A Industria 4.0 combina técnicas avançadas de produção e operações com tecnologias inteligentes que buscam integrar empresas e pessoas para tornar os negócios mais produtivos e rentáveis. Este conceito, sobre o qual se escuta há alguns anos e que tomou força em 2020, é o presente e futuro das empresas.

O que fazemos com o conceito de Indústria 4.0 é conectar nossos clientes com suas necessidades de ponta a ponta, para poder capitalizar essa promessa de valor da transformação digital para que cada um dos negócios seja ideal, eficiente e envolva inovação nos produtos para melhorar a vida das pessoas.

Mas, como tornar as empresas mais produtivas e rentáveis em conjunto com a Indústria 4.0?

As organizações devem identificar as tecnologias que melhor atendem suas necessidades, antes de investir nelas. Adicionalmente, os benefícios e oportunidades que a Indústria 4.0 traz consigo devem ser identificados nos objetivos e projeções de crescimento corporativo, segundo a área econômica à qual pertençam. Os líderes corporativos que estão acostumados aos dados e comunicações lineares devem saber onde a tecnologia da Indústria 4.0 está sendo empregada.

No caso da saúde, a telemedicina é o resultado dos avanços tecnológicos que oferecem uma série de benefícios ao paciente e aos profissionais de saúde, como a redução de barreiras de acesso aos sistemas médicos e a diminuição de custos. 

Outro dos setores econômicos que acreditou na tecnologia é o agro. Machine Learning, Inteligência Artificial, vídeo analítica, geolocalização e blockchain são algumas das soluções tecnológicas que se ajustam às necessidades dos produtores, que buscam otimizar os recursos, aumentar a competitividade e reduzir o impacto negativo dos eventos climáticos. Com o uso dos dados obtidos de sensores, câmaras e drones, é possível tomar decisões mais precisas em menos tempo, pois são baseadas em dados e informação de análise estatístico.

A indústria 4.0 também chegou às portas do setor educacional. As instituições de educação superior implementaram tecnologias para retomar as aulas de forma presencial, com o uso de soluções que ajudam a detectar aglomerações e monitorar postos de trabalho, devido à COVID-19. 

O setor financeiro há muitos anos já investe em tecnologia, pensando no atendimento de qualidade e na proteção de seus clientes. No entanto, as soluções evoluíram e atualmente conta-se com ferramentas que garantem o monitoramento de caixas eletrônicos de forma remota em zonas afastadas do país. 

Outro setor que trabalhou em sintonia com o uso de soluções tecnológicas é o de Varejo. Graças ao marketing digital, é possível saber quais são os gostos de um cliente e os produtos que compra.  A partir do e-commerce, as empresas e plataformas de vendas online podem identificar modelos claros de negócios para aumentar as vendas.

Além disto, os setores de varejo e manufatura são as verticais mais interessadas em implementar IoT e apresentaram um aumento em serviços tecnológicos flexíveis, como o acompanhamento de frotas e mercadorias, edifícios inteligentes, veículos autônomos, controle de tráfego e aplicações industriais.

Todas estas novas tendências irão sendo desenvolvidas com maior eficiência graças à tecnologia 5G, que potencializa a velocidade para ter conexões 10 vezes mais rápidas em largura de banda para celulares e aplicações industriais, com uma velocidade até 40% maior. Adicionalmente, estas novas tecnologias chegam a solucionar desafios que estamos enfrentando como sociedade.

É provável que esta revolução mude a forma como as coisas são feitas, mas pode também afetar como os clientes interagem com elas e as experiências que esperam ter enquanto interagem com as empresas.  Além disto, pode gerar mudanças na força de trabalho, o que exigiria novas qualificações e novos postos de trabalho.  

Jon Paul "JP" McLeary

Autor:
Miguel Quiroga

Solutions Architect,Lumen, América Latina.

Miguel é Solutions Architect de produtos de Conectividade da Lumen para a América Latina. É Engenheiro Elétrico pela Universidade Santa Tomás e Especialista em gerência de projetos pela Universidade el Bosque. Tem ampla experiência em desenho de soluções tecnológicas complexas, focadas em processos de transformação digital de negócios, assim como na criação e desenvolvimento de produtos, pré-vendas e venda de soluções

Disponible en Español (Espanhol)