As telecomunicações foram estendidas para todo o mundo em meados do século XIX, através do telégrafo, do telefone, do rádio e da televisão. No entanto, não foi até meados do século XX, quando os satélites decolaram da Terra e foram colocados em órbita, que a transmissão simultânea de informação conectou todos os cantos do planeta.  Os serviços satelitais evoluíram muito desde sua não tão antiga implementação e ainda que podamos esquecer que eles estão por aí, o impacto que tiveram na transformação da humanidade é inigualável. 

Os sistemas satelitais permitem fornecer serviços de telecomunicações a áreas ou comunidades isoladas ou com limites de acesso, onde os sistemas de comunicações terrestres não oferecem cobertura ou cuja implementação é economicamente inviável. Por isto, começaram como uma ferramenta fundamental para as comunicações à distância. 

Se o lançamento do primeiro satélite ‘early bird’ não tivesse tido sucesso em 1963, provavelmente muitos dos serviços de telefonia, televisão e internet dos quais desfrutamos atualmente não seriam possíveis.  Simplesmente, sem a primeira conexão do México com os satélites de comunicação da Intelsat (Organização de Telecomunicações Satelitais) através de sua estação terrestre de Tulancingo, Hidalgo, a transmissão dos Jogos Olímpicos de 1986 para todo o mundo não teria ocorrido. 

Desde os anos sessenta, os satélites têm sido utilizados para oferecer serviços televisivos, de radiodifusão, de transmissão de dados e voz, fortalecendo os sistemas de distribuição de informação para as indústrias e na prevenção de ocorrências (como fenômenos meteorológicos, por exemplo). Com a evolução da tecnologia, a humanidade continuou seu progresso em todos os aspectos e neste sentido, as capacidades satelitais evoluíram. 

Hoje, os satélites foram além de suas capacidades iniciais para agregar valor a cada conexão gerada, otimizando tempo e recursos em atividades corporativas que muitas vezes são complementadas por infraestruturas terrestres. Os serviços satelitais permitiram que as empresas de distintas indústrias avançassem no desenvolvimento de suas soluções e na entrega de serviços, alinhadas às necessidades atuais através do monitoramento de tráfego e de latência. 

Em setores que exigem velocidade e largura de banda específica, ou nas que podem ter uma largura de banda compartilhada, há redes satelitais com capacidades de ponta a ponta.  As aplicações de Internet das Coisas (IoT) para a tomada rápida de decisões no campo empresarial aumentou a demanda por serviços satelitais flexíveis, motivo pelo qual continuaremos observando transformações neste âmbito. 

A evolução dos serviços satelitais continuará ocorrendo em conjunto com nosso desenvolvimento como humanidade e ainda veremos de que forma avançará para conseguir sustentar não só os tipos de comunicação conhecidos desde o século XIX, como também alinhada às inovações como IoT, os automóveis autônomos e as cidades inteligentes.

Michael Lawson

Autor:
Carlos Allende
Country Manager, México y Director de Ventas, Clúster Norte
Lumen Technologies

 

Disponible en Español (Espanhol) English (Inglês)